Cadastre-se

MEC e o novo modelo de vestibular das federais

sábado, 28 de março de 2009 às 07h55 - Por Wanessa de Almeida
O Ministério da Educação entrega na próxima segunda (30) à Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) uma proposta de substituição do vestibular das universidades. O documento é para análise e discussão da entidade, que reúne os 55 reitores das universidades federais.

Nesta semana, os reitores receberam do ministro da Educação, Fernando Haddad, informações preliminares sobre a mudança sugerida pelo MEC. O objetivo é que a prova, nos moldes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), seja aplicada num único dia em todo o território nacional, atendendo todas as instituições de ensino superior que aderirem ao novo vestibular.

A iniciativa pretende que a prova ajude a reorganizar o currículo do ensino médio, permita maior mobilidade de estudantes entre as universidades e que o benefício seja estendido a instituições públicas e privadas, mediante adesão. O novo exame deve exigir dos candidatos mais análise e raciocínio, ao contrário da memorização exigida no modelo de vestibular aplicado hoje.

A proposta do ministério é que a prova combine as virtudes do vestibular clássico, tal como a abrangência de conteúdos, com o modelo de questões do Enem, que privilegia a análise.

* com informações do MEC

E você? Acha que essa mudança pode facilitar o acesso em universidades públicas? Não deixe de opinar!






Receber respostas por email


  • sábado | 24/04/2010 | Claudio Morais...

    Antes eu era um estunte agora eu sou um sonhador com entusiasmo pela vida cheio de objeivos . Só quem ama educa para vida em beneficio de um mundo melhor .

  • terça-feira | 22/09/2009 | David Oliveira...

    Parabens ao Mec por este novo modelo de avaliação, pois está mais proximo da realidade do aluno das escolas públicas e tambem privadas. O brasil está descobrindo os (alunos) gênios que tem e não os decorebas de carteirinha. Obrigado

  • sábado | 29/08/2009 | ROSILENE DA SI...

    não, acho que com a deficiência do ensino publico principalmento em meu estado Minas Gerais e com os gastos em propaganda de governadores, essa nova modalidade de ingresso na universidades federais ainda vai dificultar mais o ingresso de alunos de escola publicas. Infelizmente antes de mudar o modo de ingresso deve se pensar em mudar a educação de base como um todo além de valorizarem mais os professores e funcionarios da escola. acho que uma carga horário maior para os alunos, com aulas de reforço seria igual o que acontece nas escolas particulares iria iguala pelo um pouco nosso aluno de um aluno da rede privada não me importo de trabalhar mais, deste que o meu trabalho tenha uma a remuneração decente em Minas um professor não chega a ganhar nem dois salários, uma vergonha infelizmente só fica na educação quem é idealista e eu sou Deve se pensar que o professor não é como um funcionário de uma fabrica onde o seu expediente acaba quanto o mesmo bate o cartão o professor trabalha em casa sem contar que tem que estar sempre se aperfeiçoando e tudo isso custa dinheiro. bom acho que é um conjunto professores satisfeitos, diretores e supervisores competentes e participação do governo e da comunidade na escola quem sabe assim funciona Ah só uma pergunta Qual o político se arriscaria em colocar seu filho numa escola publica? enquete

  • terça-feira | 18/08/2009 | Gabi

    Eu acho que pra quem é da rede pública não ajudou muito... muito de nós sabemos da precariedade do ensino em escolas públicas. Com o englobamento de várias matérias em uma questão, é necessário muito raciocínio e uma base boa. Confesso que achei um tanto quanto inteligente a forma das questões, e seria melhor ainda se melhorasse o ensino nas redes públicas para q as pessoas que realmente precisam, tenham acesso as universidades.

Brasil Escola nas Redes Sociais