Cadastre-se

Proibir os jogos violentos?

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008 às 13h47 - Por Marla Rodrigues
O juiz federal Carlos Alberto Simões de Tomaz, da 17ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado de Minas Gerais, proibiu a comercialização no Brasil dos jogos “Counter Strike” e “Everquest”, alegando que os mesmo são nocivos à saúde dos consumidores.

O Counter Strike é classificado pelo Ministério da Justiça como um jogo unicamente para maiores de 18 anos. O problema é que estes e outros jogos classificados para maiores de 14, 16 ou 18 anos são, muitas vezes, utilizados também por crianças. A preocupação maior é que é nesta fase da vida que a personalidade do indivíduo é moldada.

A pergunta é pertinente: um jogo violento pode tornar as pessoas violentas? De acordo com o psiquiatra Içami Tiba, isto depende do contexto social e familiar da pessoa. Ele acredita que jovens que convivem harmoniosamente com os demais não são influenciados por este tipo de jogos. Ainda segundo Tiba, o problema é que a violência no Brasil é muito presente e faz parte do cotidiano de muitos adolescentes.

Para os que gostam do jogo, a proibição de sua comercialização é uma bobagem que não impedirá o seu uso. Pelo contrário, eles acreditam que esta medida poderá turbinar as vendas, já que é possível comprar os jogos em sites internacionais por meio do cartão de crédito.

Em dezembro do ano passado, nos EUA, um casal de adolescentes matou uma criança de 7 anos, logo depois de jogarem Mortal Kombat. Ela estava sob os cuidados da irmã mais velha, que ajudou a matá-la. Eles alegaram que estavam “brincando” de Mortal Kombat com a menina e não perceberam que ela havia morrido depois de receber golpes como os do jogo. A autópsia revelou que a pequena tinha um pulso quebrado, mais de 20 lesões, o cérebro inchado e sangrava sob os músculos do pescoço e da espinha.

Agora é com vocês: a proibição da comercialização de jogos classificados como violentos é pertinente? Dê a sua opinião!






Receber respostas por email


  • terça-feira | 22/05/2012 | andressa

    Depende. vai de acordo com a mentalidade de cada um,tem pessoas que jogou a vida toda e não afetou em nada,mais tem outras que ficam violentos ao jogar! mais deve proibir,não é necessário nada desses jogos na vida de ninguém!

  • quarta-feira | 16/02/2011 | Office

    Eu concordo.

  • segunda-feira | 05/04/2010 | Herberto

    Eu aceito essa lei, acho bastante justa, que acabem com esses malditos jogos de violência, está mesmo á frente dos olhos que jogos violentos originam violência á vida real e incentiva, a única razão que gostava de saber é, porque criam jogos de violência e guerra? Não existe nada melhor para criar? Lá porque exista na vida real não quer dizer que possa existir num jogo objectos que não são filmados pelas cameras de televisão, por segurança também, mas o Jogo que deveriam poibir de estar no mercado é o GTA "GRAND TEFT AUTO", esse é o principal responsável por caem jogar fica com um vicio que nunca mais o larga, Brasil deveria poribir jogos como este, este jogo causa problemas, para aqueles que tem uma cabeça forte e que não consiguam descolar este jogo da cabeça, quem joga o GTA fica com ele na cabeça como se fosse uma eternidade, acho também que o Brasil deveria dar esta ideia também a outros países, vejam, GTA está a cameçar a ganhar terreno por todo o planeta, se ninguém parar este jogo qualquer dia só vai haver GTA nos mercados e mais nenhum outro lugar vai haver jogos para aqueles que gostam também de, jogos de aventura, concordo plenamente que este jogo saia imediatamente do mercado brasileiro e de outros países claro, para que não ocorram mais danos, porque um vicio, é uma coisa dificil de tirar. GTA, na minha opinião, não passa de um incentivo ao crime, eu já tive pensamentos que não queria pensar, por causa deste jogo, acabei por partir o CD, desinstalei do computador e eliminei tudo o que fosse do GTA, mas mesmo assim, não posso apagar no que está na minha cabeça, o que é pena, se ouve-se uma cura que pude-se fazer disquecer de coisas que não queremos pensar. MESMO ASSIM, acho BEM, que o Brasil continue com essa lei. As pessoas de hoje em dia fazem de tudo só para ganhar dinheiro, e vender jogos destes que não vai valer de nada para o futuro, sem se interesarem na saúde das pessoas que tenham problemas de memória, GTA NÃO PASSA DE UM INCENTIVO AO CRIME, E NÃO VALE A PENA ESTAREM A ESCONDER A VERDADE.

  • quarta-feira | 28/10/2009 | Ray

    Aaaah. isso tudo é uma palhaçada de proibir. na TV passa tantos filmes. novelas ou seriados mais violentos do que isso e não proibem! Não devem proibir também.

Brasil Escola nas Redes Sociais