Cadastre-se

Medicina Veterinária

Por Lorraine Vilela Campos
 


Amor e respeito aos animais são essenciais para a profissão

A relação entre o ser humano e os animais vai além da reciprocidade de afeto e amizade. O hábito de criar cães, gatos, pássaros, peixes entre outros estimula a economia nacional. O Brasil é o segundo maior produtor do chamado Mercado Pet, perdendo apenas para os Estados Unidos. Segundo os dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos Para Animais (Abinpet), no primeiro trimestre de 2014 as exportações de produtos pet cresceram 22,9% em relação ao mesmo período de 2013, chegando a uma estimativa de US$ 16,4 bilhões para o ano todo. 

As pessoas que possuem animais de estimação têm se preocupado mais com a saúde e bem-estar de seus companheiros, o que fez com que a venda de produtos veterinários registrasse um total de US$ 743 mil no primeiro trimestre de 2014. Com a conscientização da importância de investimento na saúde dos pets, cresce a necessidade de profissionais qualificados para atuar no setor, seja na produção de alimentos, medicamentos e produtos em geral, como no atendimento às patologias dos animais.

Devido ao aquecimento do mercado, o curso de Medicina Veterinária encontra-se em um bom momento. No entanto, o amor e respeito aos animais deve ser o principal fator ao escolher tal profissão. 

Histórico 

No Brasil, as primeiras escolas de Medicina Veterinária surgiram no início do século XX. A primeira, criada em 1910, foi a Escola de Veterinária do Exército, que teve seu funcionamento oficial a partir de 1914. Da mesma maneira foi criada a Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária, atualmente conhecida como Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), havendo um espaço de quatro anos entre o decreto de sua criação e o seu funcionamento. 

No entanto, a profissão só foi regulamentada em 1933, por meio do decreto nº 23.133, no governo de Getúlio Vargas. Com a regulamentação da profissão, o diploma de graduação passou a ser obrigatório para o exercício da profissão, o qual desde de 1940 é emitido pela Superintendência do Ensino Agrícola e Veterinário do Ministério da Agricultura. Já em 1968, foram criados os Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária, conforme a Lei 5.517

Funções

O profissional de Medicina Veterinária pode desenvolver diversas atividades, cuja mais conhecida é a prática clínica e cirúrgica de animais de todas as espécies. Entretanto, o veterinário também pode desempenhar outras funções como: 

- Vigilância sanitária de estabelecimentos com animais ou produtos de origem animal;
- Área acadêmica, seja na direção ou como professor;
- Trabalhar nos processos de abate e preparação (assim como higiene) de frigoríficos;
- Supervisão, análise e consultoria em indústrias;
- Zoológicos e parques ambientais e aquáticos;
- Centros de recuperação de animais silvestres;
- Centros de Controle de Zoonoses;
- Empresas e órgãos do ramo agropecuário;
- Fabricação e controle de medicamentos;
- Suporte aos animais em testes experimentais feitos pela medicina.

Graduação

O curso de Medicina Veterinária é um bacharelado com cinco anos de duração, divididos em dez períodos. As aulas são ministradas em turno integral.

Ao longo do curso, o estudante tem contato com diversas áreas em que poderá trabalhar. A grade curricular é composta por disciplinas teóricas e práticas, o que permite ao aluno um preparo para as oportunidades que o mercado de trabalho lhe dará. 

Entre as disciplinas vistas pelos estudantes estão histologia e embriologia veterinária, zootecnia, anatomia dos animais, parasitologia veterinária, patologia veterinária, fisiologia veterinária, microbiologia veterinária, genética, imunologia veterinária, farmacologia animal, técnicas operatórias, epidemiologia, política agrícola, clínica médica, doenças infecciosas, reprodução animal, apicultura e agroecologia, estatística aplicada.

Instituições

Região Centro-Oeste
Distrito Federal: UnB.
Goiás: UFG, Faculdade Objetivo.
Mato Grosso: UFMT.
Mato Grosso do Sul: UFMS, UCDB, Unigran.

Região Nordeste
Alagoas: UFAL, Cesmac.
Bahia: Uesc, UFBA, UFRB
Ceará: Uece.
Maranhão: Uema.
Paraíba: UFCG, UFPB.
Pernambuco: UFRPE, IFPB
Piauí: UFPI.
Rio Grande do Norte: Ufersa
Sergipe: UFS

Região Norte
Acre: UFAC
Amazonas: IFAM, Esbam, UniNiltonLins .
Pará: UFRA, UFPA.
Rondônia: Unir, Facimed, Aparício Carvalho.
Tocantins: UFT

Região Sudeste
Espírito Santo: UFES, UVV.
Minas Gerais: UFMG, PUC-Minas, UFLA, UFU, UFV.
Rio de Janeiro: UFF, Unig, Estácio, Unigranrio, UFRRJ, UENF.
São Paulo: USP, Unesp, Anhembi Morumbi.

Região Sul
Paraná: UFPR, UEM, UEL, PUC-PR, Fepar, UTP, Unicentro, Uenp, UFFS.
Rio Grande do Sul: UFRGS, PUC-RS, UFPel, UFSM, Unipampa.
Santa Catarina: Furb, Udesc, IF Catarinense









Receber respostas por email


  • quinta-feira | 11/06/2015 | Natalia Cistina

    Ola,pessoas amo meu animais e de todos que vejo e amo cuidar

  • quarta-feira | 13/05/2015 | Andress Alves ...

    Olá. Eu gostaria de tirar uma dúvida: a nota do Enem vale para esse curso? Aceitam em medicina veterinária?

  • quarta-feira | 13/05/2015 | Lorraine Vilela Campos
    0 0

    Olá! Sim, algumas universidades utilizam a nota do Enem como forma de ingresso.

  • quarta-feira | 15/04/2015 | Marcelo Breves

    Não sei se estou enganado mas creio que o curso de Medicina Veterinária não está disponível na UFAM e sim no Ifam .

Brasil Escola nas Redes Sociais