Cadastre-se

Dicas

Por Marla Rodrigues
 


Dicas de quem já fez o programa de intercâmbio

Lembre-se sempre que viajar para o exterior é adequar-se aos costumes deles e não o contrário. As demais tradições são bem diferentes da nossa e prezam bastante os seus valores e a sua identidade cultural.

A experiência fora do Brasil vai trazer-lhe muitas responsabilidades já que você vai estar longe das pessoas que te amam e cuidam de você. Isto é bom porque traz maturidade, ajuda na construção da independência e capacidade. É difícil ouvir uma opinião desfavorável ao intercâmbio, a não ser quando o estudante não está bem preparado.

O mercado valoriza muito a experiência acadêmica e profissional no exterior. Até mesmo para estudantes, o visto de alguns países permite o part-time, que é o trabalho de reduzidas horas (20 por semana). Isto ajuda o estudante a praticar o idioma, conhecer mais sobre a cultura e ainda conseguir um dinheiro para amenidades e lazer.

Nunca saia do país sem ter um seguro saúde que compreenda todo o período de sua viagem. No exterior, os hospitais públicos não costumam atender estrangeiros e o atendimento particular é muito caro. Para uma estadia de até três meses, o seguro de vida do Banco do Brasil é a opção mais barata, em média R$ 45,00 mensais. Ele atende problemas de saúde, consultas e internações em qualquer lugar do mundo. Para estadias superiores a três meses, existem, dentre outras, a Isis e a Young Care, que apesar de mais caras também abrangem todos os serviços hospitalares necessários para uma viagem tranqüila.

Para economizar faça a carteira de estudante mundial e tenha descontos em cinemas, alimentação, museus, parques e teatros. Se o destino for a Europa, prefira o Young Card, que atende todos aqueles menores de 26 anos. Se for aproveitar para viajar para lugares próximos tenha também a carteira de alberguista, que permite a estadia em um local simples, mas confortável, por um preço camarada. Na Europa, é possível encontrar diárias de até 9 euros. A desvantagem é que esses lugares não permitem uma hospedagem superior a 6 dias.

Em sites de relacionamentos, como Orkut e Gazzag, é possível encontrar comunidades e pessoas que tenham passado por uma experiência fora do país. Tente obter o máximo de informações: o custo de vida, os gastos extras, os melhores lugares da cidade para ficar, como é o ensino da faculdade para onde você vai etc. Não confie em uma fonte apenas, pergunte para o máximo de pessoas que conseguir, assim, você terá uma noção melhor e mais confiável, além de poder comparar as experiências e ter a certeza de que você vai encontrar aquilo que realmente procura. No site das universidades, às vezes, a realidade que eles mostram é um pouco diferente daquela que você vai encontrar, afinal, a propaganda é a alma do negócio.

Não leve tanta bagagem, principalmente se for para um lugar frio. Nesses lugares as roupas são mais apropriadas para o clima do local. Para comprar, prefira os centros das cidades, onde é possível encontrar peças de vestuário até quatro vezes mais baratas do que nos shoppings, por exemplo. Se ainda assim não encontrar nada que o valha, prefira as lojas de departamento como a C&A, H&M (uma espécie de C&A que só tem no exterior) e Zara, que oferecem preços mais razoáveis.

Ao comprar comida, prefira os supermercados maiores que possuem sua própria marca de produtos. Em sua maioria, esses correspondem à terça parte do preço dos concorrentes e não perdem em qualidade para os mesmos. Eles economizam nas embalagens e propagandas e por esse motivo tendem a repassar para seus clientes preços baixíssimos, muitas vezes a centavos.








Receber respostas por email


  • sábado | 19/06/2010 | fabiane

    amei!!!!!!!!!! vou fazer um intercâmbio....... adorei o site 10 d !

Brasil Escola nas Redes Sociais