Cadastre-se

Medicina tem 116 por vaga no Vestibular 2013/2 da UFT

Na relação dos três cursos mais concorridos também estão Direito e Engenharia Civil, todos em Palmas.

05/09/2013 15h07 - Atualizado em 05/09/2013 15h10
 

A Universidade Federal do Tocantins (UFT) liberou nesta quinta-feira, 5 de setembro, a concorrência do Vestibular 2013/2. Como de praxe, o curso mais concorrido é Medicina, com 116,6 candidatos para cada uma das 25 vagas oferecidas. Ao todo, 12.118 pessoas se inscreveram no vestibular.

O segundo curso mais disputado é Direito, com 36,88 inscritos por vaga, seguido por Engenharia Civil (33,96), Enfermagem (23,5) e Arquitetura e Urbanismo (15,3). Todos os cursos citados são ministrados em Palmas. O curso mais concorrido do Interior é Medicina Veterinária, em Araguaína, com 13,84 candidatos por vaga.

Acesse a concorrência completa

O Vestibular 2013/2 oferece 1.575 vagas em 43 cursos de graduação, distribuídos nos sete campi da UFT, nas cidades de Araguaína, Arraias, Gurupi, Miracema do Tocantins, Palmas, Porto Nacional e Tocantinópolis. Do total de vagas, 12,5% são reservadas para candidatos que cursaram todo o ensino médio na rede pública. Há, ainda, 5% das vagas para indígenas.

As provas gerais serão aplicadas no dia 15 de setembro, das 8h às 12h e das 14h30 às 18h30, nas cidades onde estão localizados os cursos da universidade (veja o local e sala de prova). Um dia antes, 14, os candidatos ao curso de Arquitetura e Urbanismo terão que fazer um teste de habilidade específica, das 15h às18h.

Os portões dos locais de prova serão fechados 10 minutos antes do início dos exames, por isso é recomendável chegar com uma hora de antecedência. É preciso levar documento original de identidade e caneta esferográfica de tinta preta ou azul, fabricada em material transparente.

Os gabaritos serão publicados no dia das provas, após às 19h. A lista de aprovados está prevista para 22 de outubro. Outras informações podem ser conferidas no Edital, pelo telefone (63) 3232-8545 ou através do e-mail copese@uft.edu.br.

Por Adriano Lesme











Receber respostas por email


Brasil Escola nas Redes Sociais